DISCERNINDO O CHAMADO

junho 15 18:03 2016 Imprimir Este artigo

Entre os chamados que Deus faz ao seu povo, a vocação sacerdotal continua merecendo da Igreja uma atenção especial, no sentido de oferecer aos jovens, de modo particular, espaços para o verdadeiro discernimento da vocação.

Padres

Talvez um dia você tenha alguma profunda experiência de Deus. Talvez você preste algum serviço à Igreja (na paróquia ou na comunidade) e comece a achar a experiência gratificante. Talvez você observe um padre que se revele genuinamente feliz na sua vocação. E você comece a pensar: “Será possível que Deus esteja ME chamando ao sacerdócio?” Mas como alguém pode “saber” exatamente?

O conhecimento da vocação ao sacerdócio vem do discernimento, processo de oração e investigação que gradualmente vai descobrindo aspirações profundas plantadas por Deus no coração da pessoa. O processo de discernimento varia de indivíduo para indivíduo, mas há vários elementos comuns a todo discernimento:

ORAÇÃO – você precisa orar fielmente para discernir a vocação ao sacerdócio. Isto significa reservar um tempo diário para ficar na presença de Deus e deixar o Senhor aos poucos revelar os planos para sua vida. Participar da Missa com freqüência, participar de retiros e de dias de encontros de oração também ajuda.

INVESTIGAÇÃO – você precisa fazer-se perguntas, examinar, indagar-se. Conte a um padre que você sente que pode ter recebido um chamado ao sacerdócio. Pergunte-lhe como ele discerniu o chamado de Deus na vida dele e se ele se sente bem na sua vocação. Entre em contato com a Pastoral Vocacional e saiba das oportunidades que ela oferece. Participe de encontros ou retiros vocacionais. Seja dinâmico enquanto investiga a possibilidade da vocação.

ORIENTAÇÃO –  você vai precisar de orientação enquanto discerne a vocação. Você vai precisar de alguém que avalie a ação do Espírito Santo em sua vida. Peça a um padre que seja seu diretor espiritual. Encontre-se com ele regularmente e deixe o Espírito falar a você através do seu diretor espiritual.

Se você fizer fielmente estas três coisas – ORAR, INVESTIGAR e PROCURAR ORIENTAÇÃO – um dia você “saberá” no coração se foi chamado à vocação sacerdotal.

Quando  o sentimento no seu coração simplesmente não desaparecer, você precisa AGIR. Entre em contato com a Pastoral Vocacional da diocese, da sua paróquia. E lembre-se: entrar no seminário não significa que você vai se tornar padre, mas só que você quer um tempo muito maior para o discernimento.

SER PADRE

O sacerdote ordenado participa de modo especial da ação de Jesus Cristo no mundo. Um sacerdote dedica sua vida ao serviço do povo de Deus, sendo instrumento da graça de Deus, tocando e transformando a vida das pessoas. Ele proclama o Evangelho, a palavra de vida e esperança. Ele ensina a verdade; na pregação e na instrução apresenta o modo de vida ensinado por Jesus. Ele é o meio pelo qual o poder do Espírito de Deus penetra na vida das pessoas e a modifica. Iniciando-se com o Batismo, este nobre ministério do sacerdócio culmina na celebração da Eucaristia. Pelo ministério sacerdotal Cristo faz-se presente e ativo na vida do povo.

O padre é também pastor, espelhando-se em Jesus, o Bom Pastor. Assim, ele assume o coração de Cristo, cheio de misericórdia e compaixão pelos pobres. Pelos sofredores e por aqueles que lutam contra suas próprias fraquezas. Ele traz a cura do amor de Jesus nos Sacramentos da Reconciliação e da Unção dos Enfermos. Ele está disponível a escutar, compreender, confortar e a auxiliar a recuperar a autoconfiança. Ele está presente nos momentos-chave da vida das pessoas: na alegria do matrimônio e na dor da morte.

O padre é um homem da Igreja. Presta obediência ao Bispo. Devota sua vida a ser um servo fiel do trabalho da Igreja. Ensina o que a Igreja crê. É leal ao Papa e aos Bispos e trabalha em estreita fraternidade com os colegas sacerdotes.

O padre é um homem de Deus. É homem de oração, permanece um bom tempo na presença de Deus, de modo que seu próprio caráter é constantemente moldado segundo a vontade e o coração de Deus. Ele ouve fielmente as Escrituras que o chamam a arrepender-se e a servir generosamente. Ele está  diante de Deus para interceder pelas necessidades de seu povo e pelas necessidades do mundo. O padre é um homem de fé, cuja confiança em Deus, forte e arrojada, permite que seja líder na fé e traga uma clara visão espiritual aos fatos da história e da vida social.

O padre é homem que reconhece sua própria humanidade. É homem que humildemente reconhece agir em nome de Cristo e ser instrumento do trabalho de Deus, acima das capacidades de sua própria personalidade e talentos. Ele se entrega ao Senhor para ser usado segundo a conveniência do Senhor.

Comente via Facebook

escreva um comentário

0 comentário

Ainda não há comentários!

Você pode ser o único a iniciar uma conversa.

Adicione um Comentário