Liturgia Diária: 4ª-feira da 11ª Semana Tempo Comum

junho 15 20:27 2016 Imprimir Este artigo

4ª-feira da 11ª Semana Tempo Comum

Cor: Verde

1ª Leitura – 2Rs 2,1.6-14

Num carro de fogo, Elias subiu ao céu.
Leitura do Segundo Livro dos Reis 2,1.6-14 1 Quando o Senhor quis arrebatar Elias ao céu,
num redemoinho,
Elias e Eliseu partiram de Guilgal.
6 Tendo chegado a Jericó, Elias disse a Eliseu:
‘Permanece aqui,
porque o Senhor me mandou até ao Jordão’.
E ele respondeu:
‘Pela vida do Senhor e pela tua
eu não te deixarei’.
E partiram os dois juntos.
7 Então, cinqüenta dos filhos dos profetas os seguiram,
e ficaram parados, à parte, a certa distância,
enquanto eles dois chegaram à beira do Jordão.
8 Elias tomou então o seu manto,
enrolou-o e bateu com ele nas águas,
que se dividiram para os dois lados,
de modo que ambos passaram a pé enxuto.
9 Depois que passaram, Elias disse a Eliseu:
‘Pede o que queres que eu te faça
antes de ser arrebatado da tua presença’.
Eliseu disse:
‘Que me seja dada uma dupla porção do teu espírito’.
10 Elias respondeu: ‘Tu pedes uma coisa muito difícil.
Se me vires quando me arrebatarem da tua presença,
isso te será concedido;
caso contrário, isso não te será dado’.
11 E aconteceu que, enquanto andavam e conversavam,
um carro de fogo e cavalos de fogo
os separaram um do outro,
e Elias subiu ao céu num redemoinho.
12 Eliseu o via e gritava:
‘Meu pai, meu pai, carro de Israel e seu condutor!’
Depois, não o viu mais.
E, tomando as vestes dele, rasgou-as em duas.
13 Em seguida, apanhou o manto
que Elias tinha deixado cair
e, voltando sobre seus passos,
estacou à margem do Jordão.
14 Tomou então o manto de Elias
e bateu com ele nas águas dizendo:
‘Onde está agora o Deus de Elias?’
E bateu nas águas,
que se dividiram, para os dois lados,
e Eliseu atravessou o rio.
Palavra do Senhor.

Salmo – Sl 30,20. 21. 24 (R. 25)

R. Fortalecei os corações, vós que ao Senhor vos confiais!
20 Como é grande, ó Senhor, vossa bondade, *
que reservastes para aqueles que vos temem!
Para aqueles que em vós se refugiam, *
mostrando, assim, o vosso amor perante os homens. R.

21 Na proteção de vossa face os defendeis *
bem longe das intrigas dos mortais.
No interior de vossa tenda os escondeis, *
protegendo-os contra as línguas maldizentes. R.

24 Amai o Senhor Deus, seus santos todos, +
ele guarda com carinho seus fiéis, *
mas pune os orgulhosos com rigor. R.

Evangelho – Mt 6,1-6.16-18

E o teu Pai, que vê o que está
escondido, te dará a recompensa. + Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 6,1-6.16-18 Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:
1 ‘Ficai atentos
para não praticar a vossa justiça na frente dos homens,
só para serdes vistos por eles.
Caso contrário, não recebereis a recompensa
do vosso Pai que está nos céus.
2 Por isso, quando deres esmola,
não toques a trombeta diante de ti,
como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas,
para serem elogiados pelos homens.
Em verdade vos digo:
eles já receberam a sua recompensa.
3 Ao contrário, quando deres esmola,
que a tua mão esquerda nóo saiba
o que faz a tua mão direita,
4 de modo que, a tua esmola fique oculta.
E o teu Pai, que vê o que está oculto,
te dará a recompensa.
5 Quando orardes,
não sejais como os hipócritas,
que gostam de rezar em pé,
nas sinagogas e nas esquinas das praças,
para serem vistos pelos homens.
Em verdade vos digo:
eles já receberam a sua recompensa.
6 Ao contrário, quando tu orares,
entra no teu quarto, fecha a porta,
e reza ao teu Pai que está oculto.
E o teu Pai, que vê o que está escondido,
te dará a recompensa.
16 Quando jejuardes,
não fiqueis com o rosto triste como os hipócritas.
Eles desfiguram o rosto,
para que os homens vejam que estão jejuando.
Em verdade vos digo:
Eles já receberam a sua recompensa.
17 Tu, porém, quando jejuares,
perfuma a cabeça e lava o rosto,
18 para que os homens não vejam
que tu estás jejuando,
mas somente teu Pai, que está oculto.
E o teu Pai, que vê o que está escondido,
te dará a recompensa.
Palavra da Salvação.

Reflexão – Mt 6, 1-6.16-18

O verdadeiro espírito de conversão quaresmal é aquele de quem não busca simplesmente dar uma satisfação de sua vida a outras pessoas para conseguir a sua aprovação e passar assim por um bom religioso, mas sim aquele que encontra a sua motivação no relacionamento com Deus e busca superar as suas imaturidades, suas fraquezas, sua maldade e seu pecado para ter uma vida mais digna da vocação à santidade que é conferida a todas as pessoas com a graça batismal, e busca fazer o bem porque é capaz de ver nas outras pessoas um templo vivo do Altíssimo e servem ao próprio Deus na pessoa do irmão ou da irmã que se encontram feridos na sua dignidade.

Fonte: CNBB

Comente via Facebook

escreva um comentário

0 comentário

Ainda não há comentários!

Você pode ser o único a iniciar uma conversa.

Adicione um Comentário