Para que serve o purgatório?

junho 13 15:37 2016 Imprimir Este artigo

É importante sabermos que a realidade do purgatório é a consequência da misericórdia de Deus

“Todo aquele que o Pai me dá virá a mim, e o que vem a mim não o lançarei fora. Pois desci do céu não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou. Ora, esta é a vontade daquele que me enviou: que eu não deixe perecer nenhum daqueles que me deu, mas que os ressuscite no último dia. Esta é a vontade de meu Pai: que todo aquele que vê o Filho e nele crê, tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia” (Jo 6,37).

purgatório

Foto: Wesley Almeida / cancaonova.com

É importante sabermos que a realidade do purgatório é a consequência da misericórdia infinita de Deus, que vai além de todos os limites. Ainda na eternidade, somos objetos da misericórdia divina.

“As almas dos justos porém estão na mão de Deus, tormento algum as atingirá” (Livro da Sabedoria 3,1).

Embora seja terrível o que nós passaremos no purgatório em comparação com o céu, não é nada o que vai se passar no inferno. Depois de leves correções, receberão imensos benefícios aqueles que passarem pelo purgatório. “Deus os provou e os achou dignos de si. Purificou-os como ouro no crisol e os acolheu como a oferta de um holocausto” (Sabedoria 3,6). Nós precisamos estar completamente purificados para entrar no Reino dos Céus.

Os que confiam no Senhor compreenderão a verdade, e os que são fiéis no amor permanecerão com Ele, pois a graça e a misericórdia são para os Seus eleitos. Deus usa de misericórdia para conosco, por isso nos dá mais uma chance. Pelos infinitos méritos de Nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai nos deu a oportunidade de, depois da morte, sermos ainda purificados. Muitas vezes, somos criticados por rezar pelos mortos, pois aqueles que foram para o purgatório não podem fazer nada por si; eles dependem de nós, das nossas orações.

Os santos dizem que o fogo do purgatório é semelhante ao fogo do inferno. Mas enquanto o fogo do inferno é para atormentar aqueles que estão condenados, o fogo daqueles que se salvaram é para purificá-los. Se morrermos ainda com tantas impurezas, é no purgatório que seremos purificados.

Quando compreendemos a beleza que é a realidade do purgatório, nós nos abrimos a Deus. O sacrifício de Cristo nos perdoa, mas os danos que nós cometemos têm de ser refeitos. Por causa dos pecados que cometemos é que nós precisamos ser santos. A única coisa que repara os absurdos que fizemos é a nossa santidade. É por isso que os santos quiseram ser santos, primeiro por causa de Deus, segundo porque eles se viam pecadores. O Senhor quer a nossa ressurreição. Precisamos ser santos.

 

Seu irmão,
Monsenhor Jonas Abib

Pregação ‘A realidade do purgatório’, de monsenhor Jonas Abib, em 2 de novembro de 2000.

Comente via Facebook

  Article "tagged" as:
  Categories:
escreva um comentário

0 comentário

Ainda não há comentários!

Você pode ser o único a iniciar uma conversa.

Adicione um Comentário