Primeiro Bispo de Parintins

by Daniel Martins | 16 de junho de 2016 00:07

DOM ARCÂNGELO CERQUA, PRIMEIRO BISPO DE PARINTINS

Dom Arcângelo Cerqua nasceu em Giugliano, Província de Nápoles, Diocese de Avers, no dia 2 de janeiro de 1917. Filho de Antônio Cerqua e Maria Assunta Cecere. Tinha três irmãos: Giovana, Michele e Domenico. Foi batizado na Igreja de São Nicolau, no dia 8 de janeiro de 1917.

Dom Arcângelo Cerqua

DOM ARCÂNGELO CERQUA, PRIMEIRO BISPO DE PARINTINS

Aos cinco anos, o menino Arcângelo teve o seu primeiro contato com as missões. Ao lado da mãe viu passar, pela pequena Giugliano, uma relíquia de São Francisco Saverio, o Apóstolo da Índia.

Aos oito anos, no dia 2 de maio de 1924, fez a sua primeira comunhão na Praça de Santa Sofia, durante as Santas Missões pregadas ao povo pelos padres redendoristas.

O ambiente familiar despertou-lhe uma devoção profunda a Maria, que o acompanhou pelo resto da vida. Sua vocação missionária foi incentivada pela professora do 5º ano elementar, senhora Anna D’Alterio, esposa de um pintor chamada Giulio di Napoli, que de tanto falar nas missões incentivou seus alunos a ingressar no seminário menor de Ducenta no dia 13 de outubro de 1930. Nove meses depois, no dia 14 de junho de 1931, o menino Arcângelo recebe no seminário o Sacramento da Crisma.

Formou-se padre do Pontifício Instituto das Missões Exteriores (PIME), para trabalhar nas missões estrangeiras, recebeu a batina, a tonsura, as ordens menores e por fim o Diaconato e o Presbiterato.

Foi Ordenado diácono no dia 21 de junho de 1940, pelo Cardeal Idelfonso Shuster.

Sua ordenação sacerdotal dói no dia 29 de junho de 1940, em plena II Guerra Mundial.

Em fevereiro de 1948, Pe. Arcângelo recebe o crucifixo de missionário e é enviado ao Brasil.

Chega a Macapá no dia 29 de maio de 1948, em companhia de Dom Anselmo Pietrulla, bispo de Santarém, e é empossado vigário de Macapá.

Chegam a Parintins, no dia 13 de novembro de 1955, as 6h, na lancha João Cleofas, Pe. Arcângelo, a Federação Mariana de Manaus e comitiva, sendo recebidos com festa pelo povo.

No dia 15 de março de 1956, Pe. Arcângelo foi nomeado Administrador Apostólico da Prelazia de Parintins e, no dia 1º de maio, foi empossado por Dom Alberto Gaudêncio Ramos.

No dia 03 de fevereiro de 1961, monsenhor Arcângelo foi nomeado bispo prelado de Parintins. A notícia foi publicada no L’Osservatore Romano, jornal do Vaticano.

Em 1962, Dom Arcângelo começa a construir a atual Catedral Nossa Senhora do Carmo; participa do Concílio Vaticano II e nas sessões seguintes, até 1965.

No ano de 1971, Dom Arcângelo Cerqua cria na Diocese de Parintins o Cursilho de Cristandade.

Participou da Conferência Latino Americana de Puebla, em 1979. No ano de 1980 teve uma audiência com o Papa João Paulo II e pediu à sua Santidade que quando cruzasse o espaço aéreo de Parintins enviasse uma bênção especial para o povo Católico de Parintins

Logo após a comemoração dos 25 anos da Prelazia, em 1980,exatamente oito meses depois da mensagem do Papa veiculada pela Rádio Alvorada, em comemoração aos 25 anos, o Vaticano divulgou um decreto, datado de 25 de março de 1981, elevando a Prelazia a Diocese. Quatro meses mais tarde, no dia 15 de julho de 1981, Dom Arcângelo muito doente, recebeu do Papa João Paulo II a Bula “Conferencia Episcopalis Brasiliensis”, elevando a Prelazia de Parintins a Diocese, juntamente com outras prelazias da região, como Humaitá, Cruzeiro do Sul,  Tabatinga e São Gabriel da Cachoeira.

No dia 11 de maio de 1986, celebrou-se na Itália 25 anos de Sagração Episcopal e, por causa da doença, pediu a Sagração de um Bispo Coadjutor à Nunciatura Apostólica e foi escolhido o Padre João Rizatti, no dia 17 de dezembro de 1987. Dom João Rizatti foi amigo e confidente de Dom Arcângelo.

No dia 05 de julho de 1988, véspera do Círio de Nossa Senhora do Carmo, Dom Arcângelo renunciou à Diocese de Parintins, passando a ser Bispo emérito. Faleceu na Itália no dia 21 de fevereiro de 1990.

Dom Arcângelo assumiu a Prelazia com duas Paróquias e quase nenhuma assistência ao interior. Começou então a estruturá-la, fundando e acompanhando as comunidades rurais, formando líderes e padres. Ordenou pessoalmente os padres Dilson Brandão, Francisco Dinelly e Rener Dutra. Instituiu os Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão e realizou, no dia 09 de julho de 1968, a primeira Assembléia para formar o Conselho Presbiteral e definir orientações sobre a Evangelização, a Catequese e a Pastoral dos Sacramentos. Assembléias de Parintins, todas pessoalmente por ele. O bispo, cantor , poeta e compositor, também se preocupou com as famílias, com a Educação, com a Juventude, vocações, ministérios e com o diretório das festas religiosas. Dom Arcângelo marcou profundamente a vida do povo e a história de Parintins e de toda a Igreja. Mais do que o Bispo, foi um pai espiritual para todo o povo amazônida.

 

Fonte: Revista do Jubileu de 50 anos da Diocese

Comente via Facebook

Source URL: http://catedraldeparintins.com.br/primeiro-bispo-de-parintins/